terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Britânico é condenado a 25 prisões perpétuas

Eu ia falar sobre o caso do cubano Gerardo Hernández que tinha sido condenado a duas prisões perpetuas, mais vasculhando na net achei um caso ainda mais curioso, a de um Britânico que foi condenado a VINTE E CINCO , 25  prisões perpetuas por maltratar durante quase 30 anos suas duas filhas, às quais engravidou em 19 ocasiões.

A imprensa britânica divulga os detalhes do processo judicial deste homem, que já foi batizado de "Fritzl do Reino Unido" por causa dos pontos comuns com o aposentado austríaco acusado de prender e estuprar sua filha durante 24 anos.

O estuprador britânico, de 56 anos e cujo nome não pôde ser revelado à imprensa por razões legais, abusou de suas filhas em inúmeras oportunidades desde 1979 - quando a mais nova completou oito anos - até o fevereiro passado, quando as mulheres buscaram ajuda.

Destes abusos nasceram nove crianças, duas das quais morreram pouco após o parto, porém as vítimas sofreram dez abortos.

O agressor, que passará pelo menos 19 anos e meio em prisão e que não mostrou nenhum arrependimento por seus atos, reconheceu 25 estupros e quatro abusos sexuais, mas a polícia calcula que uma das mulheres pode ter sido estuprada mais de mil vezes, publica o "Daily Mirror".




Investigação

O juiz do caso, Alan Goldsack, explicou que agora é necessário esclarecer a razão de os serviços sociais e de saúde terem falhado na hora de reconhecer e evitar os abusos.

Apesar das várias gestações, os funcionários do hospital nunca investigaram a razão de estas mulheres voltarem a ficar grávidas nem a identidade do pai das crianças.

O departamento de assuntos sociais de Sheffield estabeleceu uma investigação independente para esclarecer estas dúvidas e localizar os erros dos serviços públicos.

Em 1997, a polícia empreendeu uma investigação após o irmão destas mulheres, que abandonou a casa com sua mãe por ser alvo da violência do pai, lhes falar de um possível incesto, mas nada aconteceu.

O agressor prendia as filhas em seus quartos quando saía da casa e lhes tinha proibido de fazer amizades com meninos ou de saírem sozinhas de casa.

A cada seis meses, a família mudava de domicílio nos condados de Yorkshire e Lincolnshire e o pai escolhia sempre locais solitários para não levantar suspeitas entre os vizinhos.




A imagem colocada no post, é somente mera ilustração , "porque post sem imagem ninguem lê"



Por Celso Arruda

  © Blogger template 'Isolation' by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP